Xbox compromete-se a trazer Call of Duty para a Nintendo por 10 anos se adquirir a Activision Blizzard

A Microsoft se comprometeu a lançar jogos Call of Duty nas plataformas Nintendo e Steam pelos próximos 10 anos se adquirir com sucesso a Activision Blizzard, afirmou Phil Spencer.

O chefe do Xbox foi ao Twitter para fazer as reivindicações, dizendo: “A Microsoft assumiu um compromisso de 10 anos para trazer Call of Duty para a Nintendo após a fusão da Microsoft e da Activision Blizzard King”.

Ele acrescentou: “A Microsoft está empenhada em ajudar a trazer mais jogos para mais pessoas – no entanto, eles escolhem jogar”.

Spencer então seguiu com um segundo tweet fazendo um compromisso semelhante aos jogadores de PC.

“Também tenho o prazer de confirmar que a Microsoft se comprometeu a continuar a oferecer Call of Duty no Steam simultaneamente ao Xbox depois de fecharmos a fusão com a Activision Blizzard King”, escreveu ele.

O último jogo Call of Duty lançado em um sistema Nintendo foi a versão Wii U de Call of Duty: Ghosts, que foi lançado em 2013 e permitia aos jogadores usar um Wii Remote para mirar com controles de movimento.

Spencer não afirmou em que ano esperava que o primeiro Call of Duty publicado pela Microsoft aparecesse em uma plataforma Nintendo.

Spencer também falou com o The Washington Post sobre o compromisso e foi questionado sobre o prazo potencial para Call of Duty retornar à Nintendo.

Referindo-se à data de junho de 2023 em que a fusão deve ser concluída (supondo que não seja bloqueada pelos reguladores), Spencer respondeu: “Você pode imaginar se [o negócio] fosse fechado nessa data, começar a fazer o trabalho de desenvolvimento para que isso acontecesse. provavelmente levará um pouco de tempo.

“Assim que entrarmos no ritmo disso, nosso plano seria que, quando [um jogo Call of Duty] fosse lançado no PlayStation, Xbox e PC, também estaria disponível na Nintendo ao mesmo tempo.”

Quando perguntado se o Switch seria capaz de lidar com Call of Duty, Spencer citou o título multiplataforma da Microsoft, Minecraft, como um exemplo de como esses projetos de geração podem funcionar.

“Também faríamos isso com o Minecraft, onde faríamos um trabalho específico para fazer o jogo rodar bem no Nintendo Switch e seu silício e oferecer suporte completo à plataforma”, explicou. “Fazemos o mesmo quando lançamos no PlayStation 5.

“Minecraft e Call of Duty são jogos diferentes. Mas de como você coloca jogos na Nintendo, como você dirige uma equipe de desenvolvimento que visa múltiplas plataformas, essa é a experiência que temos.”

No início desta semana, o presidente da Microsoft, Brad Smith, forneceu mais detalhes em um editorial do Wall Street Journal sobre a oferta da empresa de manter a franquia Call of Duty no PlayStation por pelo menos uma década.

“Uma parte vital da receita de Call of Duty da Activision Blizzard vem das vendas de jogos para PlayStation”, escreveu Smith. “Dada a popularidade do cross-play, também seria desastroso para a franquia Call of Duty e para o próprio Xbox, alienando milhões de jogadores.

“É por isso que oferecemos à Sony um contrato de 10 anos para disponibilizar cada novo lançamento de Call of Duty no PlayStation no mesmo dia em que chega ao Xbox. Estamos abertos a fornecer o mesmo compromisso a outras plataformas e torná-lo legalmente aplicável pelos reguladores nos EUA, Reino Unido e União Europeia.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: